Peça 1

Não a coação violenta sustenta o poder do estado, mas a servidão voluntária.

Para cada estadística pergunte: “Quem conta o quê, onde, como, e para quê?”

A medicina moderna trata cada vez mais e cura cada vez menos.

O anarco-capitalismo não é perfeito, mas menos ruim que qualquer outro sistema de governança.

A política de quarentena na consequência da falsa pandemia do coronavírus demonstrou que não faltam idiotas úteis nem carrascos voluntários e que a sociedade moderna, a esse respeito, não é diferente do passado.

Quanto mais alarmantes minhas advertências, mais elas se tornam realidade.

Quando alguém caracteriza os mercados financeiros como “explosivo”, não deve deixar de informar que os bancos centrais entregaram a dinamite.

A expansão do governo baseia-se na técnica de primeiro atrapalhar a vida econômica, forçar os cidadãos na pobreza e depois para o governo de aparecer como o salvador a quem não há uma alternativa privada.

“Irracional” não é o mesmo como estúpido, irracional é tomar decisões sem considerar o a comparação entre custos e benefícios.

A mais comum falácia de composição é de pensar que mais dinheiro significa mais riqueza. O que é correto para um indivíduo não vale para a massa.

A prática de difamação dos dissidentes pelos meios de comunicação de massa tem crescido na mesma proporção que sua divulgação de notícias falsas.

Será que o hype com a pandemia do coronavírus não é sobre sua saúde, mas para esconder notícias relevantes? Quando a reportagem da pandemia tomar todo o espaço, outras notícias não serão ouvidas e, acima de tudo, nunca saberemos que notícias foram.

Eleição presidencial de 2020. Por que promover o demente Biden como candidato? Por que os ataques brutais ao Presidente Trump? Os ataques ao Donald Trump são menos um ataque a ele do que ao escritório da presidência e colocar Biden como presidente o torna o candidato certo para entregar suavemente o cargo da presidência aos detentores do poder nos bastidores.

Dificilmente existe uma afirmação mais contraditória do que dizer: “Eu acredito na ciência”.

O pseudocientista diz “eu acredito”, o verdadeiro cientista diz “eu duvido”.

A cada ano, pagamos mais pela saúde, mas as pessoas continuam morrendo. Quanto devemos pagar para viver para sempre?

Você é velho quando não corre mais atrás dos seus sonhos, mas foge deles.

Os mortos não mentem.

Segundo os dados oficiais, nenhuma pessoa morre de nada mais além do coronavírus. Isto significa que viveremos para sempre quando recebermos a vacina? É este o plano secreto?

Em 1917, Marx veio a Rússia como uma tragédia, em 2020 ele volta nos Estados Unidos como uma farsa.

É verdade que antes da presidência do Bolsonaro e do coronavírus pandemia ninguém havia morrido no Brasil porque doença mortal não existia?

Agosto 2020: enfim, cem mil mortos da COVID. Vejo milhões de brasileiros comemorando com alegria como se o país tivesse ganhado mais um campeonato e o perdedor da partida fosse o Presidente Bolsonaro.

Agosto 2020: O truque da magia é a distração e é isso que está acontecendo com Corona agora. Esteja preparado para a grande surpresa. Prometo que a surpresa não será boa.

Desde que uma pandemia foi declarada pela Organização Mundial da Saúde em março de 2020, vivemos no absurdo de que se deve temer ser censurado quando se diz que também pode haver outras causas para morrer — além do COVID-19.

Minha piedade de quem não vive porque tem medo de morrer.

A mais importante arte de todas as artes é a “ars moriendi”, porém poucas pessoas praticam. Gostaria de lembrar da dica: “Aqueles que temem a morte não podem desfrutar da vida”.

Já sabia de que antes de se tornar economista, Karl Marx já foi comunista e racista?

O segredo de escrever bem é reescrever muito.

Para a grande maioria das pessoas, a salvação é inútil. Assim não fique desesperado se não puder salvá-los.

Não apenas dispositivos atômicos, biológicos e químicos podem servir como armas de destruição em massa, mas muitas teorias econômicas como a MMT (teoria monetária moderna) também cumprem o mesmo propósito. Sempre que ouço MMT, penso TNT.

O anarcocapitalismo passa a existir por default, não pela força. O primeiro passo é uma mudança de opinião pública. O segundo passo e acabar com o estado e a política.

Anarcocapitalismo (ancap) significa que o anarquismo nos manterá livres e que o capitalismo nos torna prósperos. O ancap denota uma sociedade livre e próspera. O contra-modelo ao ancap é o socialismo, tanto em sua versão nacionalista (nacional socialismo) quanto em sua versão internacional (Comintern) ambos que significam uma sociedade que é nem livre nem próspera.

Nos anos 60 e 70 os jovens foram Sartre ou Camus. Foi a escolha entre desespero ou felicidade diante do abismo. Depois foi a escolha entre Marx e Mamon — ambos que trazem desespero.

Se ainda havia a necessidade de provar a crueldade, a falsidade e o mal absoluto do estatismo, foi entregue pelo atual ataque globalista à humanidade com a resposta dos política a pandemia de coronavírus.

Para cada livro sobre história “um relato dos crimes dos estatistas” caberia como subtítulo.

Não há maior crime que eles cometido pelos estados.

O estado não representa o bem comum, mas é um instrumento de poder nas mãos dos governantes.

Os sete passos da humanidade moderna para o inferno:

1. Parasitismo (cultura de dependência)

2. Relativismo moral (pós-modernismo)

3. Tecnocracia (culto à ciência, expertocracia)

4. Engenharia social (capitalismo de estado, intervencionismo governamental)

5. Eugenia seletiva (culto à morte, aborto e despovoamento)

6. Sistema de crédito social (controle comportamental)

7. Totalitarismo digital (transumanismo)

Por enquanto, estou feliz porque ainda tenho mais perguntas do que respostas.

Uma boa sociedade oferece liberdade e prosperidade. Prosperidade sem liberdade é desesperadora, liberdade sem prosperidade é vazia.

Os cinco passos no caminho para levar uma economia à beira da ruína:

1. Aumentar os gastos públicos para alimentar ociosidade

2. Aumentar os salários acima da produtividade

3. Expandir as prestações sociais às custas da provisão privada

4. Inflacionar os créditos bancário

5. Estimular o consumo em vez da produção

Dr. Antony P. Mueller is a German professor of economics who currently teaches in Brazil. See his website: http://continentaleconomics.com/

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store